N O T Í C I A S    &    D I C A S

08/01/2018 - SUPERE SEUS LIMITES

 

Supere seus limites e venha treinar conosco!

Você pode, Você precisa.

 

 

 

28/09/2017 - Zumba

Z U M B A - Fique em forma na maior diversão

 

 

 

20/07/2017 - NÃO É UMA ACADEMIA MODERNA QUE TRANSFORMA O SEU CORPO

"NÃO É UMA ACADEMIA MODERNA QUE TRANSFORMA O SEU CORPO"


A transformação está dentro de vc!!! Até onde o seu corpo aguenta e a sua cabeça manda!!! MAIS UMA!!! VAI ATÉ A FALHA!!! Não é uma academia moderna que transforma o seu corpo, busque foco, perseverança e Deus!!! Seja vc!!! Aquele momento que vc está treinando torne único , hj posso dizer que fui e sou um atleta bodybuilder, pois o meu único objetivo é estar de bem comigo mesmo,com o que eu sou e com o que serei, realmente isso é para poucos. Você pode, acredite.

 

11/07/2017 - #ACADEMIAPRIMESHAPE

 

 

25/05/2017 - Atividade Física e seus Benefícios

 

 

25/04/2017 - Atividades Físicas e seus Benefícios

 

Durante a atividade física, com a contração muscular, ocorre deformação, e o osso acaba interpretando essa deformação como um estímulo à formação. Recentes estudos sugerem que exercícios de sobrecarga em locais específicos e com impacto promovem um estímulo mais efetivo, ou seja, o exercício não tem somente um efeito sistêmico, mas também um efeito local sobre o osso, visto que o tecido ósseo é sensível às demandas que agem sobre ele e responde prontamente a elas, fazendo com que cada modificação de um osso seja acompanhada por uma alteração na arquitetura interna. 

Exercícios resistidos com pesos (tipo musculação) ou aqueles em que a pessoa tem de suportar o peso corporal, são mais eficientes e estimulam o crescimento e a fixação de minerais no tecido ósseo.

 

 

24/04/2017 - Atividade Física e seus benefícios

 

 

20/04/2017 - Atividade Física e seus benefícios

 

Idosos que praticam atividade física regularmente tendem a ter um desempenho cognitivo melhor,

especialmente em tarefas que exigem memória e inteligência.

Essa é a conclusão de um estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos.

 

19/04/2017 - Atividade Física e seus Benefícios

 

De acordo com um novo estudo,

a prática regular de exercício diminui em 7% a probabilidade de

desenvolver qualquer tipo de tumor.

 

 

19/04/2017 - Atividade Física e seus Benefícios

 

Durante a realização do exercício físico, ocorre liberação de um hormônio chamado endorfina (conhecida como o hormônio da alegria, que promove a sensação de bem-estar, euforia e alívio de dores) e da dopamina, que propicia um efeito tranquilizante e analgésico no individuo que pratica regularmente atividade física. Tais alterações promovem um efeito relaxante pós-esforço, em geral, conseguem manter a longo prazo um estado de equilíbrio psicossocial mais estável frente às ameaças do meio externo.

 

08/03/2017 - Dia das Mulheres

          

 

07/02/2017 - Viva a água de coco

Natural, refrescante e com poucas calorias. Viva a água de coco!
Apresentando, em média, 20 calorias a cada 100ml, a água de coco é uma ótima opção para reidratação após os exercícios físicos. Sua composição é basicamente 93% água e 5% açúcares, proteínas, vitaminas e sais minerais.
É rica em vitaminas do complexo B e vitamina C quando o coco ainda está verde. Além disso, a presença da vitamina C ajuda no tratamento contra o stress oxidativo e oferece efeito hepatoprotetor.
Além de reidratante, apresenta algumas vantagens em relação às bebidas a base de carboidratos e eletrólitos, sendo suficientemente adocicada, não causa náusea, não apresenta sensação de abundância ou desordem no estômago, além de ser facilmente consumida.
Qualquer pessoa pode usufruir dos benefícios da água de coco, porém, pela presença do sódio e da glicose, pessoas com hipertensão, disfunção renal e com diabetes devem consumir com moderação.

                                                       

 

15/11/2016 - Treino de 30 minutos para melhorar seu desempenho

Treino de 30 minutos para melhorar seu desempenho

Força muscular, resistência, flexibilidade, coordenação motora e agilidade são itens fundamentais para o corredor ganhar performance na corrida, pois não só garantem um melhor rendimento como também ajudam a prevenir lesões. Para quem gosta de treinos práticos e dinâmicos, uma boa maneira de desenvolver todas essas capacidades é apostar no treinamento funcional, que trabalha os músculos de forma integrada e dinâmica.
 
Por ser baseado nos movimentos naturais do ser humano, como pular, agachar e correr, é um treino versátil, ou seja, pode ser praticado em qualquer lugar. Para quem não busca apenas performance na corrida, mas também emagrecimento, é possível inserir no treino funcional exercícios aeróbicos para elevar a frequência cardíaca e, assim, garantir uma maior queima calórica.
Abaixo, o treinador Franklin Bisneto sugere um treino baseado na aula Race Bootcamp, nova aula da Bio Ritmo que mistura corrida e treinamento funcional para quem busca mais performance na corrida. O circuito tem duração de 30 minutos e deve ser feito na maior intensidade possível.
Funcional (1 minuto para cada exercício)
agachamento livre com halteres
flexão de braços (com ou sem o joelhos apoiados no chão)
abdominal completo
descanso de 30 segundos
salto sobre o step
Descanso 1:30
Esteira (1:30 para cada fase)
inclinação 4, velocidade entre 7 e 10
inclinação 2, velocidade entre 10 e 13
descanso de 30 segundos
inclinação 0, velocidade entre 10 e 16
Descanso 1:30
Funcional (1 para minuto cada exercício)
afundo alternando a perna (com halter)
remada com halteres (joelhos flexionados e tronco inclinado para a frente)
abdominal com rotação de tronco
descanso de 30 segundos
agachamento com elevação de halteres
Descanso 1:30
Esteira (1:30 para cada fase)
inclinação 4, velocidade entre 7 e 10
inclinação 2, velocidade entre 10 e 13
descanso de 30 segundos
inclinação 0, velocidade entre 10 e 16
Matéria publicada pelo Ativo.com
 http://www.educacaofisica.com.br/
 

 

15/11/2016 - 9 razões científicas para caminhar

9 razões científicas para caminhar

São necessários apenas 30 minutos por dia, três vezes na semana, para conquistar benefícios que vão da prevenção à depressão até a melhora da insônia. O que você está esperando para dar uma volta por aí?
 
Todo mundo já ouviu esta dica: para conquistar os benefícios para a saúde, é necessário caminhar pelo menos três vezes por semana, durante 30 minutos e em ritmo moderado. O percurso ideal deve ser em terreno plano e sem inclinações, longe de ruas cheias de carros e, preferencialmente, durante o dia, por questão de segurança. Além disso, quem não dispõe de muito tempo para caminhar pode tentar aumentar as atividades aeróbicas na rotina diária: você pode descer um ou dois pontos antes no ônibus ou estacionar o carro em local mais afastado. O importante é manter-se ativo em qualquer idade.
 
E não descuide da postura, pois ela merece atenção especial. “Quando for caminhar permaneça com o olhar à frente evitando uma curvatura indesejada na cabeça. Devemos contrair o abdômen para evitar sobrecarregar e tensionar a região da lombar”, orienta Felipe Lopes da Silva, educador físico da Academia Fluyr Saudável (SP). “Devemos, ainda, evitar pisadas muito fortes e controlar nossa aterrissagem para não gerar grandes impactos para os joelho e coluna”, completa. Ainda não se convenceu? Pois então, selecionamos vários benefícios dessa atividade física para sua saúde e que a ciência testou e aprovou. Veja a seguir quais são eles:

AFASTA A DEPRESSÃO
 
A Universidade de Stirling (Escócia) analisou os dados de oito pesquisas sobre caminhada com um total de 341 pacientes e concluiu que a prática pode ajudar a driblar a depressão. Os resultados foram publicados na revista Mental Health and Physical Activity. Uma das hipóteses é que o exercício ajuda a liberar endorfina. “A endorfina é um neurotransmissor produzido no sistema nervoso e também pela hipófise. Atua na diminuição da dor e na sensação de bem-estar e euforia”, destaca Roberto Ranzin, ortopedista do Hospital Israelita Albert Einstein (SP).
 
PREVINE DOENÇAS VASCULARES
 
A doença arterial obstrutiva periférica é causada por placas de gordura que fazem o fluxo de sangue das pernas diminuir. Com isso, provocador intermitente, limitação de movimentos e piora na qualidade de vida dos pacientes. Pois uma pesquisa realizada pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE-USP) comprovou que a caminhada duas vezes por semana ajudou na melhora dos sintomas. O exercício, contudo, foi realizado de forma alternada: caminhavam-se dois minutos e paravam-se outros dois.
 
COMBATE O COLESTEROL RUIM
 
Caminhar é tão eficiente como correr na prevenção de doenças cardiovasculares, segundo pesquisa publicada na revista Arteriosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology (EUA). Os pesquisadores acompanharam por seis anos 33 mil corredores e 15 mil praticantes da caminhada, e o resultado foi que o segundo grupo também apresentou menos riscos de colesterol alto e doenças coronarianas.“As atividades físicas aeróbicas, como a caminhada, produzem vários tiposde alterações benéficas para o sistema cardiovascular, como o aumento da fração boa do colesterol (HDL)”, justifica Ranzin.

FAZ BEM PARA A MEMÓRIA
 
Idosas que praticavam caminhada em ritmo rápido apresentaram melhor memória quando comparadas às colegas que investiram em exercícios de resistência ou de tonificação muscular. O estudo, da Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá), acompanhou de perto 86 mulheres entre 70 e 80 anos de idade. Os pesquisadores não descobriram, contudo, o mecanismo de ação do exercício contra o esquecimento.

CONTROLA O DIABETES
 
A grande pesquisa realizada com corredores e praticantes de caminhada, publicada na revista Arteriosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology, mostrou outros benefícios além da diminuição do nível de glicose. Quem caminhava viu os índices de glicose no sangue ficarem estáveis e apresentou menor o risco de desenvolvimento de diabetes do tipo 2. “A caminhada melhora a ação da insulina e controla a glicemia”, conta o ortopedista. “Este tipo de diabetes acomete as pessoas mais idosas e por aumento da resistência à insulina, ou seja, as células têm mais dificuldade em absorver a glicose”, completa o médico.
 
É REMÉDIO CONTRA A INSÔNIA
 
Também dorme melhor quem calça os tênis e vai para a rua andar. Pesquisada Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) avaliou os efeitos da caminhada intensa, da caminhada moderada e da musculação em 36 pessoas com insônia. Os resultados mostraram que a caminhada aumentou 37% o tempo de sono e ajudou a conter a ansiedade.

AMENIZA A DOR CRÔNICA
 
A fibromialgia é uma síndrome caracterizada por dor constante em diversos pontos do corpo, tendo origem autoimune. A caminhada – quem diria? – também se mostrou eficiente contra a dor crônica. “Isso ocorre por meio da ação das endorfinas. Essas substâncias têm uma estrutura semelhante aos analgésicos opiáceos e produzem diminuição da dor crônica”, reforça o médico. Mas não só. A fibromialgia também está associada a distúrbios do sono, o que piora a sensação de dor. Pois um estudo da Universidade Estadualde Santa Catarina (UESC) comprovou que a caminhada melhorou de forma significativa a qualidade do sono e os estados de humor de mulheres que sofriam com a síndrome.
 
DIMINUI OS SINAIS DA ARTROSE
 
Em um mês e meio, pacientes com artrose de 42 a 73 anos conquistaram alívio das dores e melhora na mobilidade após aderirem a um programa de caminhada aliado à medicação para tratamento da doença. A caminhada foi realizada durante três dias na semana, com o mínimo de três mil passos. O estudo foi liderado pela Universidade de Queensland (Austrália) e publicado pela revista Arthritis Research & Therapy. “A osteoartrite ou artrose é uma lesão degenerativa e progressiva que afeta cartilagem e parte óssea”, explica Daniel Barros Pereira, ortopedista (MG).
 
REDUZ A PRESSÃO ARTERIAL
 
Caminhar reduz a pressão arterial em hipertensos e mantém as taxas baixas durante as 24 horas seguintes. Essa foi a conclusão de uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da Universidade de São Paulo (USP). No artigo científico, publicado em 2004, os participantes da pesquisa caminharam durante 40 minutos e descansaram por outros 40 minutos. A redução foi mais expressiva em quem apresentava pressão arterial elevada e menor naqueles com pressão arterial normal.
 
Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/bem-estar/9-razoes-cientificas-para-caminhar/5520/ – Texto Leonardo Valle / Foto: Shutterstock – por Marília Alencar

 

 

15/11/2016 - Os riscos de pegar treinos na internet

Os riscos de pegar treinos na internet

O avanço da tecnologia caminha lado a lado com melhores condições para atletas e iniciantes melhorarem sua performance. É muito comum postagens com dicas de treino nas redes sociais e compartilhamentos de conselhos para nutrição, medicação, exercícios específicos e entre outras categorias responsáveis para melhoria da condição física de cada um. Mas, cuidado! É necessário muito cuidado em atenção. Muitas dessas dicas ou sugestões não são seguramente indicadas, ou seja, não passam pela aprovação de um especialista sobre o assunto.

Recorrer a dicas de não especialistas é um risco que, em alguns casos, podem gerar consequências para o corpo humano. Lesões, problemas de saúde, dificuldade nas articulações, entre outras diversas situações que podem atrapalhar os treinos e até tornarem-se coisas mais sérias no futuro.
Para o professor especialista Edgard Batista, o treino deve ser desenvolvido pessoalmente, pois muitas pessoas pegam treinos das redes sociais e não tem conhecimento do que elas estão fazendo, ou simplesmente não respeitam as etapas e não passam por um processo de aprendizagem motora do próprio movimento. Não ter conhecimento sobre esse processo de movimento pode fazer com que o indivíduo potencialize alguma lesão em algum músculo que não esteja estabilizado para exercícios físicos.
“É necessária uma ajuda profissional no assunto, porque caso ela tenha alguma instabilidade em alguma parte do corpo, o professor irá saber como exercitar aquela região”, completou Edgard.
Outro caso muito comum nas redes sociais é consultoria. Professores costumam vender treinos na internet para os alunos.
“Muitas pessoas fazem consultoria online e, existe outro problema frequente nisso. Mesmo que o aluno tire suas dúvidas pelas redes sociais, o professor monta sua planilha de treino a partir do que é dito pelo aluno, ou seja, ele não irá saber quais as reais condições do aluno. É muito frequente para quem gosta de exercícios e desafios, achar que está em um nível maior do que realmente está”.
Mesmo fazendo consultoria online, Edgard ressaltou a importância de o professor acompanhar o aluno pessoalmente. “Gosto de ver o aluno se adaptando e crescendo compatíveis às suas próprias condições. Já conheço alunos que machucaram pegando treinos pela internet e executando-os por independência”.
Independente do questionamento de existir treinos que não são feitos por especialistas, o problema maior é do aluno que não tem muito conhecimento sobre o assunto, e executa esse treino sem nenhum conselho ou ajuda profissional. Dessa forma, deixamos o recado: não corra esse risco! Procure um profissional de educação física e peça uma prescrição de exercícios específico para você.

(Prof. Edgard Batista, formado em Educação Física e especialista em condicionamento físico e treinamento funcional).xt here

 

14/11/2016 - Prescrição de exercícios para idosos

Prescrição de exercícios para idosos

É muito comum, quando falamos de exercícios físicos para idosos, pensar em exercício resistido como a primeira opção – e isso acontece por um motivo óbvio: o processo de envelhecimento causa uma perda importante de massa muscular e, como consequência, leva a uma perda de força e potência do músculo. Assim, o papel que a musculação tem de frear essa consequência do envelhecimento está mais do que comprovado.

 
Porém, para uma efetiva prescrição de exercícios para o público idoso, temos que levar em consideração que o envelhecimento é um processo particular e que cada pessoa envelhece de forma diferente. Esse processo é chamado de Índice de Envelhecimento. O índice de envelhecimento mostra as individualidades de cada pessoa no processo. Por exemplo: duas pessoas com a mesma idade podem envelhecer de formas diferentes (um indivíduo de 60 anos pode ter as articulações preservadas, enquanto que outro da mesma idade pode apresentar quadros de artrose avançados), ou ainda, uma pessoa, em relação a ela mesma, pode apresentar processos de envelhecimento diferentes em sistemas diferentes do organismo (uma pessoa de 60 anos pode não apresentar cabelos brancos, mas pode ter problemas de equilíbrio).
 
Ao avaliarmos o indivíduo idoso, devemos ter claro quais são suas perdas principais e como elas afetam sua qualidade de vida. Lembrando que a função principal do nosso trabalho é permitir que a pessoa faça e continue fazendo aquilo que é importante para ela mesma em termos de funcionalidade e independência.
 
Uma vez que o indivíduo é avaliado e são determinadas quais as perdas, o programa deve ter como objetivo:
1 – prevenir ou retardar a progressão de alguma doença crônica;
2- manter ou aprimorar os níveis de aptidão cardiorrespiratória (capacidade funcional);
3- prevenir as limitações e incapacitações funcionais (flexibilidade, força, coordenação, equilíbrio).
 
De posse dessas informações, um programa de exercício físicos para essa população deve ser global – exercícios resistidos, aeróbios, equilíbrio, flexibilidade – levando em consideração o índice de envelhecimento. Caso haja alguma necessidade específica resultante do processo de envelhecimento, você pode dar maior ênfase a um determinado tipo de treinamento, mas sem deixar de trabalhar outros componentes.
 
Exemplo:
Cliente R.T., 86 anos, com prática regular de exercícios físicos há 20 anos. Força muscular acima da média, resistência aeróbia boa, flexibilidade boa e bom equilíbrio. Apresentou episódio de queda e insegurança ao caminhar devido a uma crise de labirintite. Após consulta médica foi diagnosticada uma síndrome vestibular, que afeta seu equilíbrio. A partir desse momento a prescrição de exercícios, que era 60% trabalho de força, 15% trabalho de equilíbrio, 15% trabalho aeróbio e 10% flexibilidade passou a ser de 70% trabalho vestibular para aprimorar o equilíbrio, com diversas estratégias.
 
Considero importante dividir essa experiência, porque nada substitui sua atenção e a flexibilização do trabalho com a população idosa. Você não precisa se prender a um único tipo de treinamento para que seu cliente conquiste seus objetivos – com conhecimento e prática, é possível fazer ajustes que irão melhorar a qualidade de vida do seu cliente.
 
Se quiser saber mais a respeito, clique aqui: www.gerontologiafitness.com.br